Tontura e vertigem Abordagem conjunta pelo otorrino e neurologista

Tontura e vertigem Abordagem conjunta pelo otorrino e neurologista

Toda criança que assiste a programas infantis sabe quais são nossos “high five” (visão, audição, gustação, olfato e tato). A mídia, com aval científico, nos faz introjetar estes como os principais sentidos.

Fica quase sem crédito um importante sentido que é a percepção de estarmos a todo momento em harmonia com o eixo de gravidade do planeta. E como é importante este sentido! Só quando o perdemos, ou felizmente, quando o temos comprometido por curto período, é que percebemos sua importância. Sem visão, audição, gustação ou olfação conseguimos viver, mas quem não consegue ajustar o corpo ao eixo gravitacional quase nada consegue fazer por sua própria conta.

A condição que resulta desta dificuldade por quase todos é chamada de “tontura”. A tontura tem prevalência em torno de 36% em mulheres e 29% em homens até 70 anos e 51% em mulheres e 45% em homens após 80 anos.

A procura por um médico com queixa de tontura é condição extremamente frequente em consultórios de clínicos gerais, otorrinolaringologistas e neurologistas. Cabe ao médico entender e classificar a queixa do paciente, visto que tontura pode significar múltiplos conteúdos com diferentes mecanismos de geração. Tontura pode ser:

Pré-sincope – sensação de iminente perda de consciência devido a momentâneo baixo fluxo de sangue no encéfalo. Geralmente ocorre quando o paciente fica de pé. É comum em quem tem hipotensão ortostática, arritmia cardíaca e transtornos psiquiátricos.

Desbalanço – instabilidade postural quando de pé ou quando anda. Pode ter múltiplas causas: comprometimento visual, comprometimento do sistema vestibular central ou periférico, comprometimento do sistema motor central ou periférico. Pode ocorrer também em transtornos psiquiátricos.

Oscilopsia – É ilusão subjetiva de movimento. Só ocorre com olhos abertos (enquanto na vertigem a sensação é percebida com olhos abertos ou fechados).

Vertigem - É ilusão de movimento, de si ou do meio ambiente, devido a problemas no processamento pelo Sistema Nervoso Central de informações provenientes do sistema vestibular (sistema este que informa ao cérebro a posição do corpo, ou de alguns de seus segmentos, em relação ao eixo de gravidade). Os movimentos percebidos pelo paciente podem ser de rotação ou de empurrão para frente ou para trás. O sintoma costuma ser provocado ou exacerbado por movimentos da cabeça e acompanhado por náuseas e/ou vômitos. Vertigem pode ocorrer por lesão unilateral dos órgãos vestibulares periféricos (labirinto e nervo vestibular) ou pode resultar de dano de estruturas vestibulares centrais (núcleos vestibulares, tálamo, córtex vestibular e cerebelo).

A avaliação por parte do médico deve ter por objetivo, nas enfermidades de instalação aguda, o diagnóstico diferencial dos quadros periféricos dos centrais, visto que os quadros periféricos, em sua maioria benignos, embora bastante sintomáticos, costumam evoluir bem, com a remissão completa ou quase, dos sintomas que levaram à procura do médico. Já os quadros centrais, de maior gravidade, requerem diagnóstico rápido e conduta precisa para minorar sequelas. Quando os sintomas já têm longa duração (quadros crônicos), muitas vezes o diagnóstico diferencial se torna mais difícil, havendo necessidade de se recorrer a exames complementares para elucidação da causa.

Todo médico que se propõe a atender estes pacientes deve estar familiarizado com o exame otoneurológico, e inicialmente deve avaliar:

• O alinhamento ocular;

• A presença de nistagmo espontâneo ou provocado;

• O reflexo oculovestibular;

• Os movimentos oculares lentos e rápidos;

• Balanço.

A anamnese também direcionará o médico para a realização de uma avaliação clínica pormenorizada, que permitirá ao fim da consulta um diagnóstico sindrômico, topográfico e etiológico, que será a base para um planejamento investigatório, caso seja necessário, assim como para a abordagem terapêutica.

Ver perfil

Matéria Por

RONALDO GUIMARÃES FONSECA

Neurologia

CRM/SP 04.0560 RQE: 71509 | São José do Rio Preto

Ver perfil

Matéria Por

Nassib Kassis Filho

Otorrinolaringologia

CRM/SP 69.271 - RQE 59989 | São José do Rio Preto

Deixar Comentário

Outras matérias desse profissional