O Que Buscamos?

O Que Buscamos?

Vivemos numa busca incessante pela satisfação plena. Cada minuto de nossas vidas é regido por emoções e pensamentos que nos levam a caminhos nem sempre satisfatórios.

Assim, nossas expectativas não são alcançadas e reagimos a esses sentimentos. Mas a vida não possui nenhum compromisso em satisfazer as expectativas que são exclusivamente nossas.

Chegamos a esse mundo sem absolutamente nada, passamos a vida desejando e buscando sempre mais. Trilhamos caminhos sem nos questionarmos muito onde queremos chegar. Entretanto, chegamos ao mundo sem nenhuma bagagem e, da mesma forma, partiremos sem levar nada.

Então que papel estamos desempenhando em nossa existência?

Precisamos evoluir no todo, precisamos de dinheiro para pagar contas, de lazer, segurança e conforto. Nossa motivação precisa estar energizada, mas não é só isso a razão de evoluirmos. O conferencista e escritor João Gretz diz a seguinte frase “Quem não muda pelo tempo é punido pela vida”. Daí refletimos: estamos coerentes com nosso tempo?

O escritor Ernest Hemingway no livro “O Velho e o Mar” conta a história de um pescador que, após algum tempo sem sucesso em sua pesca, decide buscar em alto mar um grande peixe. Encontra um peixe tão grande que fica dias tentando capturá-lo até conseguir matá-lo. Como não cabia no barco, foi amarrado no lado de fora. No entanto, durante a viagem de volta, sofre ataques constantes de tubarões predadores e, quando finalmente chega à praia, do peixe só restou sua enorme espinha. Foi o maior peixe que alguém já havia pescado, mas não pôde usufruir de sua grande conquista. Essa história nos faz refletir sobre o que buscamos, sobre nossos limites, qual o nosso papel nessa busca e onde podemos chegar.

Precisamos pensar sobre as buscas incessantes que tantas vezes fazemos, carregando um enorme peso e nos esquecendo do que realmente importa. Nós mudamos o tempo todo, ninguém é a mesma pessoa de 5 ou 10 anos atrás. Não podemos nos aprisionar no tempo, mas sim evoluir com ele, não podemos deixar nossas esperanças no passado, guardadas em algum sonho não realizado ou expectativa não satisfeita. A mudança é natural, só precisamos aceitá-la e viver o momento que está diante de nossos olhos.

Devemos compreender que ciclos se fecham, mas novos ciclos nos apresentam novas histórias, com outras paisagens e rotinas, e precisamos estar atentos para perceber e aceitar a mudança natural da vida. Saber para onde queremos ir é fundamental para atingirmos um viver pleno.

No filme “Alice no País das Maravilhas” a personagem Alice se perde na floresta e, ao ver um gato em cima de uma árvore, pergunta:

— Você pode me ajudar?

O gato responde:

— SIM, pois não?

— Para onde vai essa estrada?

— Para onde você quer ir?

— Eu não sei estou perdida.

— Pra quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve.

Não seria assim a nossa vida? Qual o nosso sentido?

A vida pode ser literal, basta que façamos uma leitura dela. Ao analisá-la, encontraremos uma vasta literatura sobre nós mesmos.

A psicoterapia é uma ótima fonte de ajuda e desenvolvimento.!

Ver perfil

Matéria Por

Júlio Gil

Psicólogo

CRP 06/74984 | São José do Rio Preto

Deixar Comentário