A evolução da cirurgia de coluna

A evolução da cirurgia de coluna

Seguindo as tendências mundiais de redução de danos cirúrgicos a tecidos saudáveis e utilização de técnicas menos agressivas, a cirurgia de coluna está em evolução constante.

Diversos procedimentos surgiram nos últimos anos, assim esse texto procura expor algumas das técnicas modernas utilizadas atualmente para o tratamento de doenças da coluna. Bloqueio Paravertebral: Trata-se de uma injeção, ou infiltração, nas estruturas da coluna que sejam responsáveis pela dor. Utilizam-se medicamentos específicos que reduzem a dor e a inflamação, e assim melhoram a qualidade de vida. Geralmente é um procedimento seguro, pode ser feito em consultório ou em centro cirúrgico a depender da técnica empregada.

Rizotomia: Procedimento em que procura- se “desativar” o nervo que sente a dor na coluna, geralmente em situações de desgaste, hérnias ou dores crônicas. Pode ser feito com uso de medicamentos e injeções, ou através de aparelhos que modificam a temperatura local (radiofrequência térmica), ou mesmo aparelhos que através de correntes elétricas controladas modificam a sensibilidade do nervo acometido (radiofrequência pulsátil). Realizado em centro cirúrgico com auxílio de agulhas específicas através de anestesia local e sedação

Cirurgia minimamente invasiva: São técnicas utilizadas em que o menor número possível de estruturas são lesadas durante a cirurgia, priorizando a preservação da anatomia normal, removendo as áreas doentes e reduzindo cicatrizes, sangramento e dor. Pode ser realizada com lupas, microscópios, e através de aparelhos que apenas afastam a musculatura sem a necessidade de cortes extensos, acelerando assim a recuperação pós cirúrgica imediata. Atualmente até a fixação da coluna (parafusos e barras) pode ser posicionada com essa técnica.

Endoscopia de coluna: As cirurgias guiadas por vídeo, através de pequenos furos na pele, são muito conhecidas entre os cirurgiões (laparoscopia) e ortopedistas (artroscopia). Atualmente essa técnica passou a ser utilizada também para o tratamento de patologias da coluna como hérnias de disco e estenoses, em que se utilizam cânulas finas que permitem a retirada da hérnia ou a descompressão da raiz neural com recuperação rápida, pouco sangramento e dor. Eventualmente pode ser feita com anestesia local e sedação, sem necessidade de internação hospitalar.

Ver perfil

Matéria Por

Daniel Jose Mazzo Bedran De Castro

Ortopedia e Traumatologia

CRM/SP 134.447 - RQE 37531 | São José do Rio Preto

Deixar Comentário