Acne após os 25 anos: por que ocorre e como tratá-la?

Engana-se quem pensa que a acne é um problema exclusivo dos adolescentes. Acne é o nome dado a espinhas e cravos que surgem através de um processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilossebáceos, ocasionados principalmente por alterações hormonais, que em muitos casos persistem também na vida adulta. Na vida adulta, o problema pode surgir ou se manter após os 25 anos de idade, quando se inicia o processo de envelhecimento natural da pele. De acordo com a Academia Americana de Dermatologia, as mulheres são as maiores vítimas dessa patologia, sendo que 54% delas com mais de 30 anos sofrem com acne no rosto.

Ciclos menstruais, gravidez e menopausa, além dos hábitos cotidianos como má alimentação e estresse são alguns dos processos que podem desencadear o aparecimento da acne, alerta a dermatologista Ana Paula Mesquita Antoniassi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “As principais anomalias hormonais que desencadeiam o aparecimento de cravos e espinhas na face são Síndrome de Ovário Policístico (SOP) e Hiperplasia Adrenal. A alta carga glicêmica, obtida através de uma dieta com carboidratos e processados, assim como o estresse do dia a dia, exposição aos raios ultravioleta, hereditariedade, consumo de cigarros e bebidas alcóolicas também contribuem para que o problema se agrave.”

As principais áreas afetadas com as lesões inflamatórias são no chamado terço inferior da face – mandíbula, região ao redor da boca, queixo e pescoço. Nem sempre a mulher que sofre com a acne na fase adulta passou pelo problema ao longo da adolescência. As inflamações podem surgir pela primeira vez após os 30, 40 ou até 50 anos de idade.

Cuidado em excesso

A Dra. Ana Paula alerta sobre o efeito rebote que pode ocorrer quando a higienização é realizada de maneira inadequada e com grande frequência. “A nossa pele possui uma barreira natural de proteção, formada por sebo e água. O exagero na limpeza faz com que a produção de sebo se intensifique e aumente a oleosidade da pele, por isso o ideal é lavar o rosto com sabonete específico apenas duas vezes ao dia e complementar a preparação da pele com produtos que podem ser indicados pelo dermatologista após uma avaliação da sua pele”, finaliza a médica.

Ver perfil

Matéria Por

Ana Paula Dias Mesquita Antoniassi

Dermatologia

CRM/SP 95384 | São José do Rio Preto

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS